A+ A-

Pará de Minas e Região


Gás de cozinha: revendedores reagem contra declarações do presidente Bolsonaro

Capa

A polêmica em torno dos sucessivos aumentos do gás de cozinha só cresce de tamanho. Os transportadores de combustíveis e revendedores de gás rebateram a declaração do presidente Bolsonaro sobre a alta.

Bolsonaro disse que não tem imposto federal nos preços e culpou o ICMS e o lucro do revendedor pela disparada dos valores. Já as revendas garantem que o presidente mentiu e deveria se retratar.

Eles também cobram do ministro da Economia, Paulo Guedes, o choque de energia barata, como foi prometido, com redução de até 50% no preço do gás. E enquanto as discussões vão ficando mais acirradas, o consumidor continua no sufoco.

O JM já informou que em Pará de Minas o gás de cozinha está sendo vendido entre R$99,00 e R$103,00. É o reflexo do cenário nacional que enfrenta demanda grande e oferta menor do produto.

O problema vem se agravando com a pandemia e o cenário do petróleo no mercado internacional. E pode piorar a partir de 1º de agosto, já que a Petrobras anunciou um reajuste de 7% nos preços de venda do gás natural para as distribuidoras.

Foto Ilustrativa: stevepb/Pixabay.com