A+ A-

Pará de Minas e Região


Fiscalização autua farmácia de Pará de Minas que vendia kit covid

Capa

A Secretaria Municipal de Saúde confirmou a autuação de uma farmácia de Pará de Minas pela venda irregular de medicamentos que fazem parte do chamado kit covid, que são a ivermectina, hidroxicloroquina e azitromicina. 

A pasta recebeu denúncias de que o estabelecimento, que não teve nome nem endereço divulgados, estava vendendo os remédios sem prescrição médica, o que é ilegal. 

O teor das denúncias chamou atenção da Vigilância Sanitária e, após um trabalho de fiscalização, foi constatada a irregularidade e aplicadas as sanções cabíveis ao proprietário, como notificação e multa. 

O secretário de Saúde, Wagner Magesty, lamentou o caso e informou que a penalidade foi financeira. A empresa poderá recorrer. 

Os medicamentos do kit covid ficaram populares após o início da pandemia, quando o governo federal começou a defender o uso deles no tratamento precoce do coronavírus, mesmo sem comprovação científica desta finalidade.

Wagner Magesty garantiu que a Vigilância Sanitária continua com os trabalhos de fiscalização nos estabelecimentos de saúde, a fim de que todos só trabalhem dentro da lei:

E os fiscais voltaram às farmácias para nova inspeção. Entre os pontos abordados, eles reforçaram as orientações nas drogarias que realizam testes de detecção do coronavírus. 
A ação aconteceu justamente após um questionamento do secretário de Assistência e Desenvolvimento Social, Flávio Medina.

Ele externou preocupação sobre o comportamento das pessoas que vão às farmácias fazer o teste, para saber se estão infectadas, e enquanto aguardam o resultado do exame, percorrem lojas próximas, aumentando de forma significativa as chances de transmissão do vírus. Nós também apuramos junto às farmácias que os procedimentos na realização dos testes seguem rigorosamente o protocolo de prevenção do vírus.

Os profissionais responsáveis pela aplicação dos testes usam máscara, luvas, aventais e toucas, além de higienizar as mãos e equipamentos constantemente. Para se ter ideia da situação, tem dias em que é preciso fazer a troca de até 30 pares de luvas, além de substituir o avental por até 7 vezes.

Quanto às pessoas que vão fazer os testes, as farmácias exigem que estejam usando máscara no interior da loja e ainda orientam que permaneçam no local, isoladas dos demais clientes, enquanto o resultado não é divulgado. A mesma recomendação também é feita para acompanhantes, no entanto, neste caso o controle é mais difícil já que, devido ao espaço físico, nem sempre eles ficam na farmácia esperando.

Ainda segundo foi apurado pelo JM, parte das pessoas que testam positivo para a doença perguntam sobre o chamado kit covid, na esperança de que os farmacêuticos possam receitar os medicamentos, como a cloroquina, por exemplo. Porém, como já foi mostrado no início desta reportagem, os profissionais não podem vender sem prescrição médica. 

Fotos: Germano Santos/Rádio Santa Cruz FM e Prefeitura de Pará de Minas/Divulgação